Curso de Panorama Bíblico – Parte 1

curso-panorama-biblico

Paz e Graça, iremos iniciar hoje uma série de estudos Bíblicos, e para iniciarmos bem, trataremos do Panorama Bíblico, pois é muito importante que o cristão conheça o seu manual de fé, regra e prática, então vamos ao primeiro estudo, o Curso de Panorama Bíblico.

 Curso de Panorama Bíblico – Parte 1

A SÍNTESE DO ANTIGO TESTAMENTO

NOMES ESCRITURAIS PARA A BÍBLIA.

Há pelo menos três nomes escriturais para a Bíblia. São eles: A Palavra de Deus, As Escrituras e Os Oráculos de Deus. Veja (Ef 6.10-17; Mt 21.42; Jo 5.39; At 17.11-38; 2 Tm 3.15; Hb 4.12).

AS DIVISÕES DO ANTIGO TESTAMENTO.

Os livros do A.T. reúnem-se naturalmente em quatro grupos fáceis de serem lembrados. Em ordem são:

  • Lei (5 livros, conhecidos como Pentateuco);
  • História (12);
  • Devoção ou Poesia (5); e,
  • Profecia (17).

A MENSAGEM GERAL DO PRIMEIRO GRUPO CONTENDO AS LEIS.

O primeiro grupo relata a história das comunicações de Deus e Seu trato direto com seus filhos, no princípio dos tempos, durante a época dos patriarcas, como Abraão, Isaque e Jacó e até a morte de Moisés pouco antes da ida à Terra Prometida, sob a direção de Josué. Nestes livros está contido tudo o que é conhecido como Lei, inclusive os Dez Mandamentos (encontrados em Êxodo 20.3-17). Entretanto, lembramos que, incidentemente, ainda hoje, Moisés, permanece como o maior dos legisladores, mais do que Drácon, Solon ou outro qualquer. Muitas de nossas leis comuns vêm das leis Portuguesas que por sua vez vieram das romanas, das quais muitas vieram de Moisés. Todo o grupo de livros, revela Deus como a primeira grande causa e Criador, mas vai além disto, e O revela como Pai paciente, amoroso, interessado e sempre tentando abençoar o homem que Ele criou à sua própria imagem.

Quer Receber nossos estudos no seu email? Inscreva-se no formulário abaixo:

OS LIVROS HISTÓRICOS.

Os doze livros de História começam com  Josué e terminam com  Ester. O mundo registrou muitas Histórias de muitas nações, mas considerando a influência que a Bíblia e Cristo têm tido no mundo inteiro, lembrando que esta História é a que registra a preparação para a vinda de Cristo, será facilmente notada que esta é a História mais significante na vida do mundo, de suas civilizações e religiões do que qualquer outra história já registrada. Estes livros de História cobrem um período de mais de mil anos da conquista da Terra Santa, em 1400 a.C. ao ano 400 a.C. Naturalmente daí só as altas luzes e os elevados picos das montanhas ainda existem, os quais tiveram comunicação direta com o cuidado e preparação de Deus para dar ao mundo o Redentor, o Cristo, Senhor.

OS LIVROS DEVOCIONAIS.

Os livros do culto e devoção dos Hebreus formam o centro do culto e da música sacra do mundo até os dias presentes. Os salmos são cantados em mais de oitocentas línguas, por seiscentos milhões de cristãos, sem dizer os milhões de judeus. A poesia lírica dos hebreus estava no auge mil anos antes das líricas de Horácio. Débora cantou uma canção modelo cem anos antes do nascimento de Sapho. O escritor de Eclesiastes discutiu o problema do mal 500 anos antes de Sócrates escrever seus diálogos. Os Salmos são quase mil anos mais velhos do que Ovídio, e hoje esses poemas líricos são lidos e cantados por mais pessoas do que antes. Quem quiser usar levianamente qualquer porção da Bíblia, incluindo o Antigo Testamento, deve considerar estes fatos.

O GRUPO PROFÉTICO.

Os críticos literários das grandes universidades classificam o primeiro livro de profecia (Isaías) como um dos maiores trabalhos de literatura de todos os tempos. Não é isto, entretanto, que o estudante da Bíblia está principalmente interessado. A questão é: esses livros são, realmente, mensagens de Deus; e qual é a mensagem contida neles?

Responder tais perguntas em apenas um parágrafo é impossível, mas pode ser dito que uma das convincentes provas da inspiração divina do A.T. e da divina filiação de Cristo, está contida nestes livros. Esses livros foram escritos aproximadamente, do ano 800 a 400 a.C. Ao lado de suas mensagens ardentes para as gerações, e de suas valiosas lições de retidão, que foram cumpridas, em seus mínimos detalhes em Cristo, estão nos acontecimentos do Novo Testamento.

Por exemplo: Oitocentos anos antes de Cristo, a época em que nenhuma nação praticava a punição capital pela crucificação, foi profetizado que Cristo morreria pela crucificação. Era para Ele iniciar sua missão na Galileia. Era para confirmar Sua missão por milagres. Era para ser homem sensível; era para entrar em Jerusalém com triunfo; era para ser rejeitado pelos judeus; era para ser traído e até o preço (trinta moedas de prata) foi predito. Seu procedimento durante o julgamento foi predito; era para sofrer abusos, era para morrer sob sentença judicial; era para ser escarnecido; suas vestes haveriam de ser rasgadas, e sortes sobre elas haveriam de ser lançadas pelos transgressores; era para perecer em meio de crueldades e zombarias; nenhum de seus ossos deveria ser quebrado; era para ser traspassado; era para fazer sua sepultura com o rico.

Estas são algumas das coisas que foram preditas e cumpridas em seus mínimos detalhes. Nenhuma outra explicação razoável pode ser dada, a não ser a que Deus existe antes e depois dos escritos do Antigo e Novo Testamentos, e que os homens que manejaram as penas tiveram a mente do Senhor atrás de si.

Curso de Panorama Bíblico – Parte 1

O Pentateuco

Curso Panorama Bíblico - Pentateuco

O GÊNESIS

Tema:

Este livro é bem definido pelo seu título, Gênesis, que significa “princípio”, porque é a história do princípio de todas as coisas – o princípio do céu e da terra, o princípio de todas as formas de vida e de todas as instituições e relações humanas. Tem sido chamado o “viveiro “ das gerações da Bíblia pelo fato de nele se encontrarem todos os começos de todas as grandes doutrinas referentes a Deus, ao homem, ao pecado e à salvação. O primeiro versículo anuncia o propósito do livro. “No princípio criou Deus os céus e a terra”. Ora, sendo ele o Deus e Criador de toda a terra, devia por fim tornar-se o Redentor de toda a terra. O livro relata como se tornou necessária a redenção, devido ter o homem pecado e caído nas trevas; e como Deus escolheu uma nação a fim de que levasse a luz da verdade divina às demais nações.

Autor. Moisés.

Esfera de ação. Da criação até à morte de José, abrangendo um período de 2.315 anos, de cerca de 4004 a 1689 aC.

O ÊXODO.

Título. Êxodo vem do grego, significando “sair”, e foi assim chamado porque registra a saída de Israel do Egito.

Tema:

Em Gênesis lemos acerca do princípio da redenção. No livro do Êxodo lemos acerca do progresso da redenção. Em Gênesis a redenção é efetuada através de indivíduos; em Êxodo, é efetuada através de uma nação inteira: Israel. A ideia central do livro é a redenção pelo sangue. Em torno dessa ideia concentra-se a história de um povo salvo pelo sangue, amparado pelo sangue e tendo acesso a Deus pelo sangue.

Essa redenção se apresenta suprindo todas as necessidades da nação. Oprimido pelos egípcios, Israel necessita de libertação. Deus provê essa libertação. Tendo sido salva, a nação necessita de uma revelação de Deus para orientá-la na conduta e no culto de sua nova vida. Deus lhe dá a Lei. Convencidos do pecado pela santidade da Lei, os israelitas sentem a necessidade de purificação. Deus provê sacrifícios. Tendo uma revelação de Deus, o povo sente a necessidade de culto. Deus lhe dá o tabernáculo e estabelece um sacerdócio.

Autor. Moisés.

Esfera de ação. Os acontecimentos registrados em êxodo abrangem um período de 216 anos, cerca de 1706 a 1490 antes de Cristo. Começa com um povo escravizado habitando na presença da idolatria egípcia e termina com um povo redimido habitando na presença de Deus.

LEVÍTICO.

Título. Chama-se Levítico pelo fato de ser um registro de leis referentes aos levitas e seu serviço.

Tema. No livro do êxodo vimos Israel redimido; a redenção de um povo escravizado. Levítico diz-nos como um povo redimido pode aproximar-se de Deus pela adoração e como pode ser mantida a comunhão assim estabelecida. A mensagem de Levítico é: o acesso a Deus é somente por meio do sangue e o acesso assim obtido exige a santidade do adorador. A maioria dos tipos no livro refere-se à obra expiatória de Cristo e manifesta-se nas diferentes oferendas que ali se escrevem.

Êxodo da-nos o relato da oferenda única que redimiu Israel de uma vez e para sempre. Levítico dá-nos muitos quadros dessa oferenda no que se relaciona com os diferentes aspectos da redenção. A mensagem do livro está muito bem exposta no versículo 2 do capítulo 19. Observe o propósito prático do livro: contém um código de leis divinamente determinado e designado para tornar Israel diferente de todas as demais nações, espiritual, moral, mental e fisicamente.

Em outras palavras, Israel tornar-se-ia uma nação santa – uma nação separada dos modos e costumes das nações que a cercavam, e consagrada ao serviço do único e verdadeiro Deus.

Autor. Moisés.

Esfera de ação. O livro abrange o período de um ano da jornada de Israel no Sinai.

NÚMEROS.

Título. O livro de Números tem este título porque trata do registro dos dois censos de Israel antes de entrar em Canaã.

Tema. Em Êxodo vimos Israel redimido; em Levítico vimos Israel em adoração; e agora em Números vemos Israel servindo. O serviço do Senhor não devia ser feito de uma maneira casual, razão por que o livro nos apresenta o quadro de um acampamento, onde tudo é feito segundo a primeira lei do céu – a ordem. O povo é numerado conforme as tribos e famílias; a cada tribo é designado o seu lugar no acampamento; a marcha e o acampamento são regulados com precisão militar; e no transporte do Tabernáculo cada levita tem a sua tarefa especial.

Além de ser um livro de serviço e ordem, Números é um livro que registra o fracasso de Israel que, por não crer nas promessas de Deus, não entrou em Canaã, e, consequentemente, peregrinou no deserto por castigo. Contudo, foi uma falta que não frustou os planos de Deus, porque o fim do livro deixa Israel nas fronteiras da Terra Prometida, aonde a nova geração de israelitas espera entrar. Desta maneira quatro palavras – serviço, ordem, falha e peregrinação – resumem a mensagem de Números.

Autor. Moisés.

Esfera de ação. 39 anos de jornada do povo de Israel no deserto, desde cerca de 1490 até 1451 antes de Cristo.

DEUTERONÔMIO.

Título. Deuteronômio origina-se de duas palavras gregas que significam “segunda lei”, e chama-se assim pelo fato de registrar a repetição das leis dadas no Sinai.

Tema. Moisés cumpriu a sua missão. Conduziu Israel do Egito às fronteiras da Terra Prometida. Agora que o tempo de sua partida chegou, ele resume perante a nova geração, numa série de discursos, a história passada de Israel, e nesse resumo baseia as admoestações e exortações que tornam Deuteronômio um grande sermão exortativo para Israel.

Exorta a recordar o amor de Jeová para com eles durante as jornadas no deserto, para que pudessem estar seguros da continuação do seu cuidado quando entrassem em Canaã. Admoesta-os a observar a lei a fim de prosperarem. Lembra-lhes as suas apostasias e rebeliões passadas e os adverte das consequências da desobediência futura. A mensagem de Deuteronômio pode resumir-s em três exortações: Recorda! Obedece! Cuidado!

Autor. Moisés.

Esfera de ação. Dois meses nas planícies de Moabe, 1451 antes de Cristo.

Assim finalizamos um breve panorama do Pentateuco, e na próxima semana falaremos sobre os Livros históricos.

Se você não quer perder uma aula, inscreva-se aqui abaixo e lhe avisaremos sempre que postarmos conteúdo novo aqui no nosso site, combinado.

Quer Receber nossos estudos no seu email? Inscreva-se no formulário abaixo:

Até mais.
Pr. Altemar Oliveira

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*