Curso de Panorama Bíblico os Livros Históricos

curso-panorama-biblico

Paz e Graça, Voltamos com a segunda parte da série de estudos Bíblicos, na aula anterior falamos sobre o Pentateuco e se você não viu, pode acessar clicando neste link aqui , caso já tenha visto, vamos para a segunda aula do Curso de Panorama Bíblico, onde falaremos um pouco dos livros históricos do AT.

 Curso de Panorama Bíblico – OS LIVROS HISTÓRICOS – Aula 2

Quer Receber nossos estudos no seu email? Inscreva-se no formulário abaixo:

JOSUÉ

Tema. Israel está agora em condições de tomar posse de Canaã e cumprir sua missão de ser testemunha às nações quanto à sua unidade, e defensor da palavra e Lei de Deus. Nos livros históricos, começando com Josué, veremos se Israel cumpriu ou não a sua missão. Josué é livro de vitória e de possessão, que apresenta o quadro de Israel, outrora rebelde, agora transformado num exército disciplinado de guerreiros, subjugando nações, que lhe eram superiores em número e poder. O segredo de seu êxito não é difícil de conhecer – “O Senhor pelejou por eles”. Tomando a fidelidade de Deus como pensamento central, poderíamos fazer um resumo da mensagem de Josué nas palavras de 21.45: “Nenhuma promessa falhou de todas as boas palavras que o Senhor falara à casa de Israel: tudo se cumpriu.”

Autor. Josué. O Talmude diz que Josué escreveu todo o livro com exceção dos últimos cinco versículos. Foi escrito durante o tempo em que vivia Raabe (6.25).

Esfera de ação. Desde a morte de Moisés até a morte de Josué, cobrindo um período de 24 anos, de 1451 1 1427 antes de Cristo.

JUÍZES.

Tema. Josué é o livro da vitória; Juizes, o livro do fracasso. Depois da morte de Josué, a nova geração de israelitas fez uma aliança com as nações que a antiga geração havia deixado na terra, atitude que resultou em idolatria e imoralidade. Isso lhes trouxe o juízo de Deus na forma de servidão às mesmas nações que deviam ter subjugado. Quando clamaram a Deus, foi-lhes enviado um libertador; durante o tempo em que esse viveu, permaneceram fiéis a Deus, mas depois da sua morte tornaram a seguir os velhos pecados. Nos últimos capítulos do livro, o escritor nos dá uma descrição detalhada daqueles tempos de apostasia e anarquia e explica o fenômeno pelo fato de que “Naqueles dias não havia rei em Israel: cada qual fazia o que achava mais reto”. A história do livro pode resumir-se em quatro palavras: Pecado, Servidão, Arrependimento, Salvação.

Autor. Segundo a tradição judaica, o autor foi Samuel.

Esfera de ação. Abrange o período que vai da morte de Josué à magistratura de Samuel.

Lista dos Juízes. O estudante deve fazer uma lista de todos os juizes, com os seguintes fatos a respeito de cada um: (1) De quem ele livrou Israel? (2) Por quanto tempo ocupou ele o cargo? (3) Quais os fatos importantes referentes a ele? Note que houve 12 juizes (excluindo Abimeleque que foi um usurpador).

RUTE

Tema. O livro de Juizes fornece, como se vê, um quadro muito triste de Israel, sob o ponto de vista nacional; Rute apresenta-nos um quadro luminoso desse período em relação à fidelidade e beleza do caráter de certos indivíduos. A história, uma das mais formosas da Bíblia, é duplamente interessante pelo fato de ser uma gentia a sua heroína. A última palavra do livro – Davi – revelará seu valor principal. Seu propósito é traçar a linhagem de Davi, o progenitor do Messias. O livro inteiro tem seu clímax na genealogia que se encontra no último capítulo.

Autor. A tradição judaica atribui a Samuel a autoria deste livro.

Esfera de ação. O livro abrange um período de dez anos, provavelmente durante a época de Gideão.

PRIMEIRO LIVRO DE SAMUEL

Tema. O Livro de Samuel é um livro de transição. É o registro da passagem do governo de Israel por juizes ao governo por reis, e da passagem do governo de Deus, ao governo de um rei visível. O conteúdo pode agrupar-se ao redor de três pessoas: Samuel, um patriota e juiz de coração humilde e consagrado, que servia a Deus obedientemente; Saul, um rei egoísta, pródigo, ciumento e obstinado, faltoso e infiel na lealdade a seu Deus; Davi um homem segundo o coração de Jeová, o doce cantor de Israel, um varão de oração e louvor, provado, disciplinado, perseguido e finalmente coroado monarca de todo Israel”.

Autor. Supõe-se, geralmente, que Samuel escreveu os primeiros 24 capítulos; e pelo fato de serem os profetas Natã e Gade mencionados juntamente com Samuel em 1 Crônicas 29.29, como biógrafos dos acontecimentos da vida de Davi, conclui-se que eles foram os autores dos capítulos restantes.

Esfera de ação. Vai desde o nascimento de Samuel até a morte de Saul, abrangendo um período de 115 anos; de mais ou menos 1171 a 1056 a.C.

SEGUNDO LIVRO DE SAMUEL

Tema. “O livro todo concentra-se na figura de Davi; É o quadro do ungido de Deus, para quem nossos olhos se dirigem. É o quadro do homem segundo o coração de Deus que iremos estudar. E começamos o nosso estudo com esta pergunta: o que há em Davi que mereça um título tão honorífico? Não o observamos de longe de modo a vê-lo como rei, em posição elevada, rodeado por toda insígnia da realeza, mas sim observamo-lo de perto, na sua familiaridade de homem. Vemo-lo, não somente no trono, mas também no lar. Vemo-lo nas suas tristezas mais profundas, e na hora de seus maiores triunfos; sua justa indignação, e sua palavras de bondade, ternura e generosidade. Somos testemunhas do seu pecado, arrependimento, momentos de impaciência e dignidade real. O quadro todo, apesar de partes sombreadas, apresenta-nos um homem em cuja vida Deus ocupava o primeiro plano. Para Davi, acima de todas as demais coisas, Deus é uma gloriosa realidade. Em suma, Davi é um homem que está profundamente consciente de sua própria debilidade, erro e pecado, mas que conhece a Deus, e confia nele de todo o seu coração”. – Markham.

Autor. Os acontecimentos registrados em 2 Samuel foram acrescentados provavelmente ao livro de Samuel por Natã ou Gade.

Esfera de ação. Vai desde a morte de Saul até a compra do local do templo, abrangendo um período de 37 anos.

PRIMEIRO LIVRO DOS REIS

Tema. Em 1 e 2 Samuel relata-se que a nação judaica exigiu um rei a fim de tornar-se como as demais nações. Embora contrária à sua perfeita vontade, Deus lhe concedeu essa petição. Neste livro aprendemos a história de Israel sob os reis. Apesar de governarem muitos reis de caráter reto, a história da maior parte deles é a de governos mais iníquos. De acordo com a sua promessa em 1 Samuel 12.18-24, o Senhor não deixou de abençoar o seu povo quando o buscava, mas, por outra parte, nunca deixou de castigá-lo quando se separava dele.

Autor. O autor é desconhecido. Acredita-se que Jeremias tenha compilado dos registros escritos por Natã, Gade e outros. (1 Cr 29.29).

Esfera de ação. Vai desde a morte de Davi até o reinado de Jorão sobre Israel, cobrindo um período de 118 anos, de 1015 a 897 a.C.

Sobre a Divisão e Declínio do Reino

A maneira mais proveitosa para o aluno aprender esta seção é fazer uma lista dos reis de Judá e de Israel, anotando em resumo os seguintes fatos: o caráter do rei, o tempo que reinou, os nomes dos profetas mencionados em conexão com seu reinado, e os acontecimentos principais de seu reino. Por exemplo:

JUDÁ                                                                                                            ISRAEL
Jeroboão                                                                                                             Jeroboão
Insensato e injusto; reinou 17 anos                                                              Idólatra, etc.
O reino dividido; o povo comete
Idolatria; invasão pelo rei do Egito.

A lista que se segue dos reis de Judá e Israel, agrupados tanto quanto possível em ordem cronológica, servirá de guia ao estudante.

JUDÁ                                                                                                                   ISRAEL
Roboão                                                                                                                Jeroboão
Abias
Asa                                                                                                                        Nabade
Baasa

                                                                                                                               Elá
Zinri
Josafá                                                                                                                    Onri
Acabe
Jeorão                                                                                                                   Acazias.

SEGUNDO LIVRO DOS REIS

Tema. O segundo livro dos Reis é uma continuação da história da queda de Judá e Israel, culminando no cativeiro de ambos. Temos aqui a mesma história de fracasso do rei e do povo, uma história de apostasia e idolatria. Embora este tenha sido o grande período profético de Israel, a mensagem dos profetas não foi ouvida. As reformas que se realizaram sob reis como Ezequias e Josias foram superficiais. O povo logo voltou a seus pecados e continuou neles até que mais nenhum remédio houve (2 Cr 36.15,16).
Autor. O autor humano é desconhecido. Acredita-se que Jeremias tenha compilado os registros feitos por Natã, Gade e outros.
Esfera de ação. Desde o reinado de Jorão em Judá e Acazias em Israel, até o cativeiro, cobrindo um período de 308 anos de 896 a 588 a.C.
Enquanto o aluno lê os capítulos, deve fazer uma lista dos reis de Judá e de Israel, como fez no primeiro livro. Veja aqui uma lista paralela desses reis:

REIS DE JUDÁ                    PROFETAS DE JUDÁ           REIS DE ISRAEL             PROF. ISRAEL
Acazias                                                                                                        Jorão                                         Elizeu
Atalia                                                                                                             Jeú
Joás                                                                                                                                                               Jonas
Amazias                                                                                                      Jeoacaz
Azarias
Ezequias                                                 Isaías
Amós                                                  Jeroboão II
Oséias                                                                                                    Zacarias

                                                                   Joel
Salum
Menaém
Pecaías
Jotão                                                     Peca
Acaz                                                   Miquéias                                                                                                 Oséias
Ezequias                                            Naum
Manassés
Amom
Josias                                               Sofonias
Jeremias
Jeoacaz

Jeoiaquim                                       Habacuque
Joaquim
Zedequias

PRIMEIRO E SEGUNDO LIVRO DAS CRÔNICAS.

Introdução. Como os livros das crônicas abrangem, na sua maioria, a matéria que se encontra em 2 Sm e 1 e 2 Rs, cremos que é suficiente dar uma introdução apenas a estes livros.
Tema. Os tradutores gregos da Bíblia referem-se a estes livros como “as coisas omitidas”, porque fornecem muitas informações que não se encontram nos livros dos Reis. Embora Reis e Crônicas demonstrem grande similaridade de conteúdo, foram escritos sob diferentes pontos de vista, o primeiro sob o ponto de vista humano, o último, sob o divino. Para exemplificar: 1 Reis 14.20, relatando a morte de Jeroboão, diz que “descansou com seus pais”. É esse o ponto de vista humano. 2 Crônicas 13.20, relatando o mesmo acontecimento, nos diz que “feriu o Senhor a Jeroboão, que morreu.” Este é o ponto de vista divino.
Autor: “Não se sabe ao certo quem foi o autor de Crônicas, mas o Talmude declara que Esdras foi o redator dos registros deixados por Samuel, Natã, Gade, Ido, etc.
Esfera de ação. Desde a morte de Saul até o decreto de Ciro, abrangendo um período de 520 anos; de 1056 a 536 a.C.

ESDRAS

Introdução. Por serem os livros de Esdras, Neemias e Ester tão intimamente relacionados, e tratarem do mesmo período, damos aqui os acontecimentos principais contidos nestes livros, para que o aluno possa ver de relance a história do período que seguiu ao cativeiro.
1. O regresso dos desterrados sob Zorobabel – 536 a.C.
2. A reconstrução do templo – 535 a.C.
3. O ministério dos profetas Ageu e Zacarias – 520 a.C.
4. A dedicação do templo – 515 a.C.
5. Os acontecimentos relatados no livro de Ester – 478 a 473 a.C.
6. Esdras visita Jerusalém – 458 a.C.
7. Neemias enviado a Jerusalém como governador – reconstrói o muro – 446 a.C.
8. Malaquias profetiza.
Tema. A ideia predominante de Esdras é a restauração. Uma comparação entre Reis e Crônicas exporá isto. Reis e Crônicas registram a destruição do templo de Israel; o último, a sua reconstrução. Esdras dá uma lição admirável da fidelidade de Deus. Fiel à sua promessa (Jr 29.10-14) ele estende a mão para reconduzir o povo à sua terra, e ao fazê-lo, usa os reis pagãos – Ciro, Dario, Artaxerxes – como seus instrumentos.

Autor. O fato de ser o livro escrito na primeira pessoa, por Esdras, indica que ele foi o autor.
Esfera de ação. Desde a volta da Babilônia até o estabelecimento na Palestina, abrangendo um período de 79 anos mais ou menos, de 536 a 457 antes de Cristo.

NEEMIAS

Tema. Este livro gira em torno de uma pessoa – Neemias. É a autobiografia de um homem que sacrificou uma vida de luxo e prazeres para poder ajudar a seus irmãos necessitados em Jerusalém. Descreve um homem que combinou a espiritualidade com a prática – alguém que sabia tanto orar como trabalhar. Absolutamente destemido, ele recusou fazer pactos com os inimigos externos e com o pecado interno. Depois de reconstruir o muro de Jerusalém e efetuar muitas reformas gerais entre o povo, humildemente deu glória a Deus por tudo o que tinha realizado. A lição principal que ensina a sua vida é que a oração e perseverança vencem todos os obstáculos.
Autor. Neemias.
Esfera de ação. Desde a viagem de Neemias a Jerusalém até a restauração do culto no templo, cobrindo um período de mais ou menos 12 anos, de 446 a 434 antes de Cristo.

ESTER

Tema. O livro de Ester não menciona o nome de Deus, entretanto, há nele abundantes sinais de que ele estivesse operando e cuidando de seu povo. Assim como Deus salvou o seu povo do poder de Faraó, ele livrou Israel da mão do malvado Hamã. Podemos resumir a mensagem do livro da maneira seguinte: a realidade da providência divina.
Autor. Desconhecido. Provavelmente Mordecai (veja 9.20). Alguns acreditam que foi Esdras.
Esfera de ação. Entre os capítulos 6 e 7 de Esdras, antes de este partir para Jerusalém.

Na Próxima aula iremos falar sobre os Livros Poéticos, não perca, inscreva-se abaixo para ser avisando quando o material estiver pronto

Quer Receber nossos estudos no seu email? Inscreva-se no formulário abaixo:

 Até mais.
Pr. Altemar Oliveira

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*